"A poesia é o eco da melodia do universo no coração dos humanos." (Rabindranath Tagore)


Estive muito perto de perder a minha crença
o dom mais precioso que minha alma alcança
só a memória daquela chama de cera batismal
quase apagada no vale da noite da indiferença

manteve sempre acesa a chama da esperança
que renovou minha vida de tanta desavença,
separou-me por certo do fracasso existencial
em que malogram os que vivem na descrença.

Para mim, crer sem ver foi se tornando um fardo
e crer para entender uma miragem já tão distante,
que pouco a pouco se dissipou minha confiança.

Agora eu sei, foi o Vento soprando sobre as águas
que guiou-me passo a passo pelo vale das sombras
e trouxe-me de volta ao seio de teu seguro aprisco.

José Luongo da Silveira
Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Nuvem de tags

%d blogueiros gostam disto: