"A poesia é o eco da melodia do universo no coração dos humanos." (Rabindranath Tagore)


Não há nada que eu queira mais do que te ver
e reavivar em mim a tua imagem desvanecida
enquanto a minha alma já se turva na distância
entre o que fomos e o que poderíamos ter sido.
 
 Não há nada que eu queira mais do que te ver,
sentir de novo a tua boca em brasa convertida,
o toque de teus lábios transformados em ânsia,
que inflamou de amor o coração que jaz partido.

Mas a vida não se demora nos dias passados,
por isso, se não vieres ao encontro prometido,
deixo agora de querer-te como sempre te quis.

Passo, então, a viver com o peito traspassado
e como a  ave que alça seu vôo mesmo ferida
ao teu lado não voltarei mais como sempre fiz.

 
 
José Luongo da Silveira
Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Nuvem de tags

%d blogueiros gostam disto: