"A poesia é o eco da melodia do universo no coração dos humanos." (Rabindranath Tagore)


 

 

 

 

John Henry Newman

Conduze-me, Doce Luz,
através das trevas que me cercam,
conduze-me sempre mais longe!
A noite é como uma tinta negra,
estou longe de tua casa,
conduze-me sempre mais longe!
Ampara meus passos,
não peço para ver desde agora
aquilo que devo ver mais adiante.
Basta, para mim, um único passo de cada vez.

Mas nem sempre fui assim,
nem sempre rezei para que me conduzisses,
cada vez mais longe…
gostava de escolher, eu mesmo,
o meu caminho…
Mas, agora, conduze-me tu,
sempre mais longe…

Fascinavam-me os dias de glória
e, apesar do medo,
o orgulho dominava minha vida.
Não te lembres mais dos anos já escoados…
durante tanto tempo teu poder me abençoou;
certamente ele saberá conduzir-me ainda,
cada vez mais longe…
pelo deserto, pelo pântano,
sobre as rochas abruptas,
pela força das torrentes,
até que a noite tenha ido embora
e que venha a manhã sorridente.

Que esses rostos de anjo, que amei outrora,
e que perdi de vista durante muito tempo,
voltem novamente a brilhar.

Conduze-me, Doce Luz,
conduze-me Tu,
sempre mais longe…

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Nuvem de tags

%d blogueiros gostam disto: